Blog


 

O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes explica mais uma dúvida frequente entre seus pacientes.

A angioplastia coronária representa o tratamento de uma obstrução em uma artéria coronária, que são as artérias que irrigam o músculo cardíaco.Hoje em dia, praticamente todas as angioplastias são realizadas com o implante de stent coronário associado, ou seja, uma pequena prótese metálica que é colocada no lugar da obstrução. Esse procedimento possui resultados muito superiores aos obtidos apenas com a dilatação por balão. Além disso, a maioria das próteses implantadas são stents farmacológicos, que vêm impregnados com uma substância que previne a cicatrização excessiva, chamada reestenose. Esse processo pode levar a reobstrução da coronária ao longo dos meses subsequentes ao procedimento.



O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes explica a diferença entre um procedimento e outro.

Cateterismo é o nome genérico que se dá a qualquer procedimento por cateter. Geralmente se refere ao exame diagnóstico feito para verificar se as artérias coronárias possuem alguma obstrução ou não. Nesse caso, é chamado de cinecoronariografia.

Já a angioplastia representa o tratamento de uma obstrução em uma coronária. É um procedimento no qual uma obstrução de coronária, detectada durante um cateterismo diagnóstico, é tratada ou no mesmo processo ou em outro subsequente. Utiliza-se, então, um balão para fazer a dilatação dessa lesão e, posteriormente, se implanta uma prótese metálica chamada stent coronário.



Dieta após cateterismo: outra dúvida que surge entre pacientes da clínica Dr. Gilberto Lahorgue Nunes.
Confira a orientação do médico cardiologista.

O que pode comer depois de fazer cateterismo? Essa é uma pergunta frequente dos pacientes da Clínica Dr. Gilberto Lahorgue Nunes.

O médico cardiologista destaca que o mais importante é a recomendação com relação ao período que antecede ao cateterismo.
Depois do procedimento, o paciente pode voltar à sua dieta habitual.
O que se recomenda é que, antes da realização do cateterismo, a pessoa fique em jejum por um período de 8 horas. Isso porque esse exame ou tratamento, na maioria das vezes, é realizado com acompanhamento anestésico e uma sedação leve.
Para evitar a ocorrência de náusea ou de vômito é que se pede que o paciente que vai se submeter ao cateterismo faça o jejum de 8 horas antes do horário marcado para o exame.
Após a realização do procedimento, o indivíduo pode retornar para sua dieta de sempre, que pode ser tanto a normal quanto a dieta específica prescrita pelo seu médico.



Quem faz cateterismo pode beber cerveja? Mais uma dúvida trazida por pacientes da Clínica Dr. Gilberto Lahorgue Nunes.

O médico cardiologista explica que uma coisa não influencia na outra.

Sim, quem faz cateterismo pode beber cerveja. O consumo de álcool não tem nenhuma influência sobre o cateterismo cardíaco.

Beber não vai aumentar o risco de sangramento nem de ter uma cicatrização inadequada do local em que foi feita a punção.

Evidentemente, que o consumo de álcool precisa ser regrado. Não pode ser um consumo excessivo, porque isso traz consequências prejudiciais. Além do coração, o consumo exagerado de álcool pode afetar outros órgãos, como o fígado, por exemplo.

Interferência direta do ato de beber álcool após, ou antes, de fazer um cateterismo não existe.

 



Essa é mais uma dúvida frequente que surge entre os pacientes da clínica Dr. Gilberto Lahorgue Nunes. O médico cardiologista esclarece que depende do objetivo da realização do cateterismo, se para diagnóstico ou se para tratamento.

Confira as orientações:

Se for um cateterismo para diagnóstico, o que se recomenda é não pegar peso no dia em que o exame foi realizado. A partir do dia seguinte, pode se retornar às atividades usuais.

Se for um cateterismo para realização de um tratamento de doença cardíaca, a possibilidade de pegar peso vai depender das seguintes situações:

  • O tipo de doença
  • Se o procedimento foi bem sucedido
  • Se o problema foi completamente resolvido
  • Se não houve nenhuma complicação durante a internação hospitalar, que geralmente dura, pelo menos, 24 horas após a realização do procedimento.

Se o tratamento foi bem-sucedido e o problema resolvido, é possível voltar a pegar peso em poucos dias após a alta hospitalar.



O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes esclarece mais uma dúv ida frequente de seus pacientes.

Para voltar a correr após um cateterismo, vai depender do objetivo desse procedimento: se foi um cateterismo para diagnóstico ou se foi para se realizar o tratamento de alguma doença cardíaca.

No caso do cateterismo diagnóstico, recomenda-se que as atividades físicas sejam retomadas no dia seguinte ao exame. Isso, se a análise não mostrar nenhum problema cardíaco que necessite de tratamento invasivo.

Quando se refere a um cateterismo realizado para tratamento de alguma doença do coração, depende do resultado dessa intervenção: se o procedimento foi realizado com sucesso, se o problema que motivou o tratamento foi completamente resolvido e, também, de quando a alta do hospital vai ocorrer.

Normalmente, quando se faz um cateterismo para tratamento, é necessário ficar 24 horas internado. A recomendação é de que, estando tudo bem e com o problema resolvido, haja um retorno gradual às atividades físicas, de maneira que, após 15 ou 20 dias após a realização do tratamento, o indivíduo possa retomar as suas atividades físicas totais, ou seja, pode retornar a fazer o que praticava antes, inclusive correr.

 

Créditos: Freepik

 



O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes segue esclarecendo
dúvidas de pacientes e questões que chegam por meio de suas redes sociais.

Atenção para sinal de cansaço após cateterismo.

Não é normal sentir cansaço após o cateterismo. O procedimento não causa cansaço.

Se a pessoa apresenta cansaço ou dor no peito após o cateterismo é sinal de que algum problema aconteceu.

O cansaço pode ser um alerta para alguma complicação relacionada ao exame ou uma manifestação da doença cardíaca, que levou o médico a solicitar esse cateterismo.

Sentir-se cansado após o cateterismo é sinal de que alguma coisa não está indo bem e, consequentemente, o seu médico deve ser consultado imediatamente.



O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes explica como proceder após o exame.

 

Uma das perguntas frequentes dos pacientes é se pode trabalhar depois de um cateterismo.

Independentemente da técnica utilizada, seja cateterismo via radial (pelo punho) ou via artéria femoral (pela virilha), no dia em que o procedimento foi realizado, não se deve trabalhar.

Após o cateterismo, é necessário que a pessoa fique um período de observação no hospital, que pode ser de 3 a 4 horas quando feito pelo punho, e de 4 a 6 horas quando pela virilha.

Geralmente, se a atividade profissional requer deslocamento, recomenda-se que isso ocorra no dia seguinte ao exame. Já se for um trabalho em casa, home office, no computador, por exemplo, é possível trabalhar no mesmo dia do procedimento após ser liberado para casa. “Sempre tendo o cuidado de, se o cateterismo tiver sido feito pelo punho, não forçar o braço no qual foi realizado, pegando peso ou digitando durante muito tempo no computador”, ressalta o cardiologista.

No caso de ter sido pela virilha, indica-se para o paciente não caminhar demais e não subir escadas frequentemente. Também é aconselhado, no caso de trabalhar sentado, tentar, na medida do possível, ficar com a perna em que foi feita a punção esticada.

 

Créditos: Freepik.com

 



O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes ressalta que o tempo de repouso vai depender de por onde foi feito o cateterismo.

Como já abordado em dúvidas anteriores enviadas à nossa clínica, o cateterismo pode ser feito pelo punho (técnica radial) ou pela punção de uma artéria na região da virilha (técnica femoral). O tempo de repouso para o paciente vai depender do local no qual foi feito o procedimento.
Quando o cateterismo é feito pelo punho, o tempo de repouso é geralmente em torno de três a quatro horas, período no qual fica uma pulseira compressiva ou um curativo compressivo colocado no punho. Após esse período, a pulseira é retirada, e o paciente é liberado para casa. É importante ressaltar que durante esse tempo de observação no hospital, o paciente pode ficar sentado, pode se levantar e caminhar, ir ao banheiro, sem necessidade de repouso na cama.
Já quando o cateterismo é feito pela virilha, isso não acontece. O paciente tem que ficar imóvel, deitado, sem mexer a perna na qual foi feita a punção da artéria femoral, por um período que varia de quatro a seis horas. Só depois desse tempo é que o indivíduo é liberado para poder caminhar e, se tudo estiver de acordo com o esperado, então, ele pode ser liberado para casa.



O cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes explica que os cuidados após a realização de um cateterismo estão diretamente relacionados ao local em foi feito o procedimento.

Os cuidados básicos após a realização de um cateterismo estão, geralmente, relacionados ao local no qual foi feita a punção da artéria para a realização do procedimento.

Quando o cateterismo for feito para diagnóstico, normalmente, o paciente fica de duas a três horas no hospital, se for feito pelo punho, e de quatro a seis horas, se feito pela virilha.

Em um cateterismo realizado pela virilha (via artéria femoral), nesse período de repouso a pessoa deve com a perna imóvel, para evitar ocorrência de sangramento no local da punção. Se o cateterismo for pelo braço (via radial), é feito um curativo compressivo, colocada uma pulseira, que vai sendo gradualmente desinsuflada, de maneira que a pessoa pode se movimentar livremente após a realização do procedimento.

Depois que o paciente de um cateterismo pelo punho for liberado para casa, a recomendação é de não fazer grandes esforços com o braço direito, no qual foi feito o exame, nas primeiras 24 horas, ou seja, não dirigir, não pegar peso.

No caso do cateterismo ter sido realizado na virilha, recomenda-se durante esse mesmo período (24 horas) não forçar demais a perna na qual foi realizado o exame, ou seja, não caminhar demais e não subir escadas de maneira frequente.

 


Dr. Gilberto Nunes | Todos os Direitos Reservados

Agência Ibr Marketing Digital