Blog


Esta é mais uma pergunta frequente entre os pacientes da clínica de cardiologia Gilberto Nunes. O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes esclarece que são procedimentos distintos.

Cintilografia do miocárdio e cateterismo são exames distintos. A cintilografia do miocárdio é um exame não invasivo que procura detectar a falta de irrigação (isquemia) em alguma região do músculo cardíaco. Se a isquemia estiver presente, é bastante provável que exista uma ou mais artérias coronárias com obstruções. Essa suspeita deve ser então confirmada com a realização do cateterismo cardíaco, que visualiza diretamente as coronárias.

Em pacientes com angina crônica (ou seja, com sintomas que surgem exclusivamente com o esforço físico), geralmente indica-se a realização, inicialmente, da cintilografia. Já em pacientes com sintomas muito intensos e limitantes, naqueles que apresentam angina instável (dor em repouso) ou com infarto do miocárdio, a indicação é partir diretamente para o cateterismo.

 

 

 

 



Na clínica, eventualmente, surgem dúvidas dos pacientes sobre expressões relacionadas a doenças cardiovasculares. O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes esclarece sobre o significado de “estenose de uma artéria”.

 

A estenose de uma artéria coronária representa uma obstrução desse vaso que irriga o músculo cardíaco, de maneira que o fluxo de sangue é reduzido na porção do músculo que essa coronária irriga, especialmente em situação de esforço físico.

Essa estenose é decorrente de um processo chamado de aterosclerose, que é a deposição de gordura na parede do vaso, levando à formação de placas, que vão gradualmente aumentando e obstruindo mais a luz dessa artéria coronária. Quando essa obstrução ou estenose oclui em mais de 70% a luz da artéria coronária, geralmente, é nesse momento que começam a surgir os sintomas de angina ou dor no peito, normalmente associados à realização de algum tipo de atividade física.

Na foto, coronária direita com duas estenoses graves, no seu óstio (seta preta) e terço médio (seta vermelha).

 



O médico cardiologista Dr. Gilberto Lahorgue Nunes esclarece mais uma pergunta frequente de seus pacientes.

A angioplastia coronária representa o tratamento de uma obstrução em uma artéria coronária (que são os vasos que irrigam o músculo cardíaco) através da dilatação com um cateter-balão que é inflado no local do estreitamento.

Atualmente, praticamente a totalidade das angioplastias é realizada com o implante de um stent coronário associado, ou seja, uma pequena prótese metálica que é colocada no lugar da obstrução, mantendo a coronária desobstruída.

Esse procedimento possui resultados muito superiores aos obtidos apenas com a dilatação por balão. Além disso, a maioria das próteses implantadas hoje em dia são stents farmacológicos e que vêm impregnados com uma substância que previne a cicatrização excessiva, chamada reestenose. Esse processo pode levar a reobstrução da coronária ao longo dos meses subsequentes ao procedimento.

 

Saiba mais sobre como é a recuperação de uma angioplastia coronária.


Dr. Gilberto Nunes | Clínica Cardiologista Porto Alegre

Agência Ibr Marketing Digital