Blog



 

As elevações dos níveis de colesterol estão na origem da maioria das doenças cardiovasculares, tais como o infarto do coração e o acidente vascular cerebral (AVC). Essas doenças representam a maior causa de mortalidade na população adulta no Brasil.

Existem, basicamente, dois tipos de colesterol: o chamado LDL colesterol ou colesterol ruim e o HDL colesterol ou colesterol bom. O LDL colesterol é o que se deposita nas paredes dos vasos sanguíneos, dando início a um processo chamado aterosclerose. Já, o HDL tem por função retirar o LDL da parede do vaso e fazer a sua metabolização no fígado.

Existe uma relação linear entre os níveis de LDL e a ocorrência de doenças cardiovasculares. Quanto maior o nível de colesterol ruim maior o risco de uma pessoa desenvolver infarto, AVC ou morte súbita.

De modo geral, recomenda-se a avaliação do risco cardiovascular em pessoas sem fatores de risco a partir dos 40 anos de idade, quando são medidos os níveis de colesterol e determinado o risco cardiovascular desse indivíduo. Dessa forma, pode-se selecionar qual a melhor opção de tratamento para esse paciente. Para pessoas com histórico de morte súbita precoce na família (< 55 anos para homens e < 65 anos para as mulheres), com casos de hipercolesterolemia familiar (defeito genético que causa elevação marcada do nível das gorduras no sangue) ou com outros fatores de risco para doença cardiovascular (fumo, hipertensão arterial, diabetes, obesidade), recomenda-se que a avaliação inicial seja realizada a partir dos 20 anos de idade.

Em linhas gerais, a primeira estratégia a ser empregada é a mudança do estilo de vida, ou seja, a realização de exercícios físicos regulares (de moderada intensidade, com duração de pelo menos 30-40 minutos, quatro a cinco vezes por semana), a adoção de uma dieta mais saudável (rica em fibras, verduras, frutas, oleaginosas, óleo extravirgem, peixes, e evitando o consumo de carnes vermelhas ou processadas), perda peso e interrupção do fumo. Se os níveis de colesterol forem muito elevados – LDL colesterol acima de 190 mg/dL –, além dessas medidas gerais, é fundamental também a prescrição de medicamentos específicos para reduzir os seus níveis, mesmo na ausência de outros fatores de risco. Nos pacientes com outros fatores de risco associados, o emprego de medicações que reduzem o colesterol deve ser considerado quando o LDL é superior a 160 mg/dL.

Em resumo, os níveis elevados do colesterol (especialmente do colesterol LDL) contribuem para o desenvolvimento das doenças cardiovasculares causadas pela aterosclerose (como o infarto e o AVC). A identificação precoce dos seus níveis elevados é fundamental para prevenir a ocorrência destas doenças, evitar as suas consequências e, dessa forma, prolongar a vida. As estratégias de prevenção incluem a adoção de um estilo de vida mais saudável (dieta associada à atividade física regular), o controle adequado dos outros fatores de risco (hipertensão, diabetes, fumo) e, dependendo do perfil de risco do indivíduo, o uso de medicamentos que reduzem os níveis do colesterol no sangue.


Dr. Gilberto Nunes | Todos os Direitos Reservados

Agência Ibr Marketing Digital
WhatsApp chat